Reflexão

Um rico fazendeiro que possuía alguns cavalos utilizados na execução de diversos trabalhos em sua fazenda, proporcionando-lhe bons lucros, foi avisado pelo capataz que um de seus melhores animais havia caído em um velho e profundo poço abandonado.

De imediato, e apreensivo pela iminente possibilidade de prejuízo, o fazendeiro correu ao local do fato para avaliar a situação.

Usando cordas, desceu ao local onde estava seu valioso animal, constatando com alegria que o cavalo não estava ferido, apenas muito assustado com a queda.

No entanto, essa alegria logo desapareceu, quando descobriu que a operação para resgate do animal oferecia muitas dificuldades e um custo muito elevado.

Com a racionalidade das pessoas que valorizam principalmente os recursos imediatos, decidiu que seria mais vantajoso sacrificar o cavalo ali mesmo no buraco onde havia caído. Tomou então a decisão de que seria mais adequado encher o poço de terra, porque assim eliminaria também a possibilidade de novos acidentes. O trabalho foi iniciado e, com rapidez, os empregados da fazenda, comandados pelo capataz, começaram a jogar terra dentro do poço para cobrir logo o cavalo.

Entretanto, algo inusitado aconteceu. O cavalo, que era um excelente animal, não estava disposto a morrer passivamente, entregando seu destino às decisões alheias. Estava em situação crítica, no fundo do poço, e só encontrava quem lhe jogasse terra por cima. Mas estava com saúde e achava que deveria encontrar forças em si mesmo, determinado a encontrar uma saída e acreditar na vida.

Assim, enquanto ele se sacudia para espanar a terra que lhe jogavam em seu dorso, repentinamente, após determinado tempo, para sua surpresa, notou que com aquele seu gesto de espanar a terra, ele estava subindo, pois a terra se acumulava no fundo do poço, e subindo na mesma, ele estava conseguindo sair do poço.

Depois de certo tempo, para surpresa geral dos homens que lhe jogavam terra, emergiu na superfície, soberbo e triunfante, ainda sacudindo de seu dorso as últimas pás de terra que lhe foram jogadas, mostrando para o mundo que seu destino era a vida, era o sucesso, era vencer…

MORAL DA HISTÓRIA

Quando qualquer um de nós estiver no “fundo do poço”, sentindo-se pouco valorizado, recebendo dos outros a “terra” do desprezo, da falta de apoio e da falta de respeito.

Quando alguns “iluminados” estiverem certos de sua “incapacidade de reação”, de seu “desaparecimento profissional”, de seu “black out pessoal”, lembre-se do cavalo dessa parábola.

Não deixem que decidam o seu futuro por você. Não se entregue.

Não aceite a “terra” que jogam contra você e não a deixe acumular “em seu dorso”. Sacuda-a e suba nela, pois quanto mais terra lhe jogarem, mais terra você terá para subir.

E, assim, com sua energia, determinação e atitude positiva, você subirá até onde você nunca teria ido sem esse desafio.

Autor desconhecido

 

Anúncios

Bençãos e Lições

Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem. Contudo, Eu lhes digo que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles. Mateus 6:28, 29, NVI.

SAMSUNG DIGIMAX A503
“Blesson” é uma palavra que surgiu recentemente nos círculos religiosos contemporâneos, particularmente em círculos femininos. Ainda não consta dos dicionários, mas seu significado é claro. É uma mistura de bênção [blessing] e lição [lesson]. Recentemente, recebi uma série de “blessons” através de uma experiência com a minha roseira.
Uma pessoa me abençoou com uma roseira como presente de aniversário. Em geral, sou boa no cultivo de plantas, mas em menos de um mês esta estava quase em seu último talo. Desanimada, tirei-a do escritório para cuidar dela em casa. Replantei-a, dei-lhe terra nova, reguei-a, coloquei-a ao sol. Mesmo falando amorosamente com ela, não vi nenhum progresso. Por fim, desisti, coloquei o vaso no quintal entre outras plantas e o deixei por lá.
Bênção/lição número um: Deixe à vontade, e deixe Deus atuar.
Um ano mais tarde, fiquei literalmente paralisada enquanto passava, pela planta. Ali, na roseira, havia vários lindos botões vermelhos. Não consegui me conter. Pulei de alegria ao sol do verão! Então, me tornei mais conscienciosa: tirei mais um pouco de ervas daninhas ao redor, providenciando também a água de que ela precisava.
Bênção/lição número dois: Deus cuida dela; não se preocupe.
Nosso Pai diz que cuida de nós mais do que dos lírios do campo e das aves do céu. Eles não se preocupam (Mateus 6:25-34); por que deveríamos nós? Por que deveria eu?
Preocupo-me, habitualmente, com muitas coisas. Onde vou morar? Como vou viajar? Que devo fazer quanto ao trabalho, colégio, amigos, familiares e finanças? Faço essas e outras perguntas repetidas vezes, e Deus sempre responde.
Tenho pensado muitas vezes nas duas bênçãos/lições por trás da experiência com a roseira, mas há uma terceira, maior: Deus cuida de cada aspecto do meu ser. Quando coloco as preocupações de lado, minha confiança em Cristo aumenta e, então, como o patriarca Moisés, percebo que devo tirar minhas sandálias, porque o lugar onde estou é terra santa. Deus está ali.
Nivischi Ngozi Edwards

Antes do final do dia

Antes do final do dia

Será necessário acreditar de novo, antes que o dia acabe. Acreditar na esperança. Teimar com a verdade. Insistir na liberdade. Fazer jus a lucidez, quando for absolutamente necessário escolher caminhos.
Antes que o dia acabe, é preciso aprender a lidar com as urgências para que elas desocupem as vagas. Há que se tomar decisões sem tropeções. Cotar o valor das coisas importantes e com isso, fazer uma reserva considerável dos imprescindíveis para quando os invernos surgirem.
Antes que o dia acabe ouse morar no tempo, todos os minutos possíveis de escapismo para render poesia. Que se deseje claridade para enxergar o cenário, sem contudo ser cruel, caso ele se apresente frio, desbotado e enfadonho. Que não se abandone o lugar pela falta de cor.
Antes que o dia acabe, que dê tempo para acolher o arrependimento das palavras que foram ditas no escândalo da incerteza. Que o relógio voe rápido para não haver tempo de abandonos, sem antes ter tentado todas as alternativas.
Antes que chegue ao final do dia será preciso passar as lições a limpo, uma a uma para não estilhaçar as verdades contidas e que dão sentido aquilo que até então foi vivido. Que ninguém descarte a dúvida que instiga rendição ao que não está na superfície. E seja como for, que se mergulhe no enfrentamento da solidão, sem terceirizar e dar crédito ao outro pela culpa da vã interpretação do necessário vazio que ronda nessa antessala da vida.
Antes que o dia vá dormir, que se estabeleça o óbvio, não vinculado a besta mania de pensar inclusive besteiras, com a maior naturalidade porque não há privação para a dor, o amor, o enfrentamento dos problemas, que sinalizam um estado não anestesiado para o lícito.
Antes que o dia se despeça de uma vez, ninguém fará uso de provas contundentes, protagonizada com a infeliz mania de mostrar a alma sem nenhuma necessidade. Seria doloroso explicar o que é mais delicado descobrir com a naturalidade de uma convivência saudável mesmo que surjam questões enrugadas. Essa é a preciosa verdade desobstruída de comodismo.
Antes que o dia escureça não esqueça, não represente, não abandone, não tropece, sem aproveitar a essência de cada ato. Para viver bem o dia não há imunidade que valha a pena.

Ita Portugal

S5030025.JPG

Quer ficar mais bonito(a) e saudável?

1.     Pratique exercícios físicos. Procure um médico antes de iniciar seu programa de exercícios.

2.     Reeduque sua alimentação. Adote cereais, legumes, vegetais e frutas da época e evite frituras e açúcar refinado.

3.     Hidrate-se: Beba de seis a oito copos de água diariamente. A água não contém calorias e hidrata o corpo.

4.     Durma de seis a oito horas por dia (que tal sete?). Procure regularizar o sono, que revitaliza o corpo e a mente. Se estiver com insônia, procure um médico.

5.     Evite drogas, álcool, fumo e também exposição demasiada ao sol após às 11 horas da manhã.

6.     Cultive hábitos saudáveis. Aprenda a gostar da natureza. Sempre que puder, faça caminhadas.

7.     Sorria. O riso oxigena as células do cérebro, da pele e relaxa os músculos do rosto. Você fica mais bonito(a) por fora e por dentro.

Fonte: Amilton Menezes

Pedagogia Waldorf em uma frase para te ajudar a viver melhor.

Pedagogia Waldorf em uma frase para te ajudar a viver melhor.

“O mal não se combate. Reforça-se o Bem.”

“Só por hoje, eu vou reforçar o Bem. Vou colocar a minha energia no que é positivo, no que pode dar certo, no que é belo e bom. E antes de dormir, vou me lembrar do que foi bom. Lembrar de tudo o que reforçou o lado Bem da minha vida neste dia.”

ANTES QUE ELES CRESÇAM

Quais são os melhores presentes da vida se não os amigos?

Tive uma infância incrível, numa família linda e cercada de amizades que guardo até hoje no meu coração. Mas aconteceu uma coisa muito curiosa, eu fiquei uns 10 anos sem ver minha amiga vizinha. Sabe aquela que quando você era criança, era só subir no muro e gritar o nome dela que a brincadeira já começava? Pois é, depois de ser mãe, depois de me apaixonar pela pedagogia Waldorf, eu reencontrei essa minha amiga e adivinha? Ela é professora Waldorf. E este é o primeiro post que ela escreve aqui para o blog. Espero que gostem! Eu amei.

Meu nome é Bartira Gotelipe Batista. Fui vizinha e amiga de infância da Cris. Além de brincar com ela das típicas brincadeiras de rua das cidades do interior, tivemos um grupo de Paquitas (rsrsrs), colecionamos papéis de carta, andamos muito de…

Ver o post original 1.137 mais palavras

O açucar

Você já pensou que pode estar faltando um pouquinho de açúcar na sua vida?
Use e abuse, este açúcar não causa diabetes!

FoFlah®

Um certo dia, a professora perguntou às crianças quem saberia explicar quem é Deus, uma das crianças chamada Arthur, levantou o braço e disse:

– Deus é o nosso pai, fez a terra, o mar e tudo que está nela e Ele nos fez como filhos Dele.
A professora, querendo buscar mais respostas, foi mais longe:
– Como você sabe que Deus existe, se nunca o viu?
A sala ficou toda em silêncio… Arthur que é um menino muito inteligente, levantou a sua mão e disse:
– A minha mãe e meu pai me disseram que Deus é como o açúcar no meu leite que ela faz todas as manhãs. Eu não vejo o açúcar que está dentro da caneca no meio do leite, mas se eles tiram, fica sem sabor. Deus existe, e está sempre no nosso meio, só que não o vemos, mas se Ele sair de perto…

Ver o post original 79 mais palavras